21/06/2022 às 12h03min - Atualizada em 21/06/2022 às 16h08min

Como o cartão White Label pode beneficiar o seu negócio

Por Alfredo Bernacchi*

SALA DA NOTÍCIA Thais e Silva
www.edenredprepagos.com.br
Divulgação

Durante muitos anos, os bancos, instituições financeiras no geral e bandeiras de cartões detinham o monopólio e expertise no oferecimento de produtos financeiros. Mas com o avanço tecnológico e a chegada do open banking e do banking as a service, muitas empresas têm provido soluções financeiras para seus clientes, funcionários e fornecedores. Nesse contexto, o private label e o white label surgiram como alternativas personalizadas e customizáveis para que as empresas pudessem ofertar à sua rede de clientes, funcionários e fornecedores uma solução de poder de compra que, talvez, individualmente eles não teriam.   

Os sistemas de crédito próprios chamados de private label surgiram nos anos 90 com maior uso no mercado varejista. São cartões próprios das lojas e estabelecimentos, emitidos sem bandeira, com acesso facilitado para que o cliente – em sua maioria desbancarizados e/ou sem crédito no mercado – pudesse realizar compras de produtos mais caros e com condições de financiamento. Uma das possíveis limitações do cartão private, no entanto, é que ele só permite a compra no estabelecimento que estampa o cartão.

A demanda por autonomia e segurança no tratamento com dinheiro fez surgir uma nova modalidade de cartão para dar mais liberdade ao consumidor e à própria empresa que adere a esta solução. Agora, além de usar como serviço de crédito ao cliente fiel, o empresário ainda pode empregá-lo na administração interna do negócio. Estamos falando do cartão white label

Antes do modelo ser aplicado ao cartão de crédito, o conceito de white label está associado à terceirização de serviços e produtos. Ou seja, uma empresa produz um item de forma terceirizada, mas quem vende e emprega a sua marca é a empresa que contrata o serviço. Por isso o termo, white label: marca ou etiqueta branca.

Nas soluções white label para cartões, uma empresa contrata uma instituição financeira para emitir um cartão e uma plataforma de gestão personalizados para suas necessidades de pagamentos. É ideal para qualquer empresa que queira digitalizar seu serviço ou pagamentos, criando um sistema de cartão próprio com plataforma completa de gestão. A oferta de um cartão dessa natureza ao cliente pode fortalecer os laços de consumo e resultar em alguns fatores como, fidelização da marca, autonomia nas transações financeiras e foco na gestão financeira do negócio.

Ao adquirir um cartão do tipo white label, é possível realizar operações da conta digital de forma mais facilitada e com maior controle e autonomia sobre as entradas e saídas, sem a necessidade de serviços convencionais como saque. Esse modelo de gestão é ideal para pequenos e médios empreendimentos, que acabam sofrendo com os valores onerosos praticados pelas instituições bancárias tradicionais em transações no dia a dia. 

Atualmente, cartões corporativos e personalizados não são requisito apenas de grandes empreendimentos. Toda e qualquer empresa, independente de porte ou natureza, pode fazer uso do white label para facilitar sua gestão financeira. É uma solução que abraça empresas que trabalham com contas digitais, por exemplo, mas que não emitem cartões personalizados a seus clientes. Lembrando que esse fator ajuda na aproximação da marca com seu público ao aumentar sua exposição.

Também é ideal para empreendimentos digitais que já nascem com toda carga da cultura virtual em sua essência. A possibilidade de um cartão próprio surge como um recurso flexível que se adequa às necessidades e tamanho do negócio e que pode, ainda, proporcionar uma experiência mais positiva ao cliente final.

E quando se trata da gestão financeira da empresa, o modelo de cartão white label também pode ser empregado como cartão corporativo pré-pago. O empresário delimita o teto de gastos mensais com compras diversas de materiais de escritório, insumos, pagamento de frete e delivery, com controle total do empregador que pode fazê-la tanto do desktop quanto por um dispositivo móvel.

Por meio do white label é possível, ainda, mapear e traçar o perfil de consumo do seu cliente, oferecendo serviços correspondentes aos anseios dele. Além disso, promove bons insights para campanhas publicitárias direcionadas.

A empresa desenvolvedora deve oferecer segurança em relação aos dados que serão processados, tanto dos clientes quanto da contratante, bem como emitir relatórios simplificados e de fácil compreensão para que o empresário possa acompanhar o fluxo de entrada e saída de recurso na empresa. Além disso, deve haver a automatização de recargas de saldo, de acordo com a necessidade do empreendedor. 

Flexibilidade e total controle de gastos são as palavras-chave na hora de implementar a solução. 

*Alfredo Bernacchi é Diretor-Geral da Edenred Pay.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://agoravirounoticia.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp